Deuses

Saiba mais sobre os deuses e entidades que são são personagens da série. Se você não leu o livro, contém revelações de personagens.


Easter

Easter, Eostre, Ēostre, Ostara, Jair ou Ostera é a deusa da fertilidade, amor e do renascimento na mitologia anglo-saxã, na mitologia nórdica e mitologia germânica. Na primavera, lebres e ovos coloridos eram os símbolos da fertilidade e renovação a ela associados.

De seus cultos pagãos originou-se o termo Inglês Easter e Ostern em alemão, que foi absorvida e misturada pelas comemorações pascais judaico-cristãs. Os antigos povos nórdicos comemoravam o festival de Eostre no dia 30 de Março. Eostre ou Ostera (no alemão mais antigo) significa “a Deusa da Aurora”. É uma Deusa anglo-saxã, teutônica, da Primavera, da Ressurreição e do Renascimento. Ela deu nome ao Sabbat Pagão, que celebra o renascimento, chamado de Ostara.


Mr. Ibis

Thot (também Toth, ou Toth, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis; é o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia.

O babuíno é o animal que o acompanha ou representa.

O culto de Tot situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin.





Bilquis

A rainha de Sabá foi, na Torá, no Antigo e no Novo Testamento, no Alcorão, na história da Etiópia e do Iémen, uma célebre soberana do antigo Reino de Sabá, reino mais poderoso da Arábia Feliz. A localização deste reino pode ter incluído os actuais territórios da Etiópia e do Iémen.

Conhecida entre os povos etíopes como “Makeda”, esta rainha recebeu diferentes nomes ao longo dos tempos. Para o rei Salomão de Israel ela era a “rainha de Sabá”. Na tradição islâmica ela era Balkis ou Bilkis. Flávio Josefo, historiador romano de origem judaica, a chamou de “Nicaula”. Acredita-se que tenha vivido no século X a.C.


Vulcan

Vulcano (Hefesto na mitologia grega) era o deus romano do fogo, filho de Júpiter e de Juno ou ainda, segundo alguns mitólogos, somente de Juno com o auxílio do Vento.

Sua figura era representada como um ferreiro. Era ele quem forjava os raios, atributo de Júpiter. Este deus, o mais feio de todos, era o marido de Vénus ( a Afrodite grega), a deusa da beleza e do amor, que, aliás, lhe era tremendamente infiel.


Czernobog

Chernobog é uma divindade da mitologia eslava. Seu nome significa deus negro. Sua caracterização como divindade ctônica, relacionada à morte e à escuridão.
Em sua mitologia, os eslavos acreditavam que ele e sua contraparte, Belobog, deus da luz e da bondade criaram o universo. Suas personalidades contraditórias fizeram com que ambos entrassem em conflito e suas ações fizeram o universo como ele é agora. Reza a lenda que Belobog é, na verdade, uma personalidade de Czernobog.





Mr. Nancy

Ananse, ou Anansi, é uma lenda africana. Conta um caso interessante, no qual no mundo antigo não havia histórias e por isso viver aqui era muito triste.

Houve um tempo em que na Terra não havia histórias para se contar, pois todas pertenciam a Nyame, o Deus do Céu. Kwaku Ananse, o Homem Aranha, queria comprar as histórias de Nyame, o Deus do Céu, para contar ao povo de sua aldeia, então por isso um dia, ele teceu uma imensa teia de prata que ia do céu até o chão e por ela subiu.

Quando Nyame ouviu Ananse dizer que queria comprar as suas histórias, ele riu muito e falou: – O preço de minhas histórias, Ananse, é que você me traga Osebo, o leopardo de dentes terríveis; Mmboro os marimbondos que picam como fogo e Moatia a fada que nenhum homem viu.


Mr. Jacquel

Anúbis ou Anupo foi como ficou conhecido pelos gregos deus egípcio antigo dos mortos e moribundos, guiava e conduzia a alma dos mortos no submundo, Anúbis era sempre representado com cabeça de chacal, mas outras fontes afirmam que o animal em questão é o coiote, entretanto os egiptólogos mais conservadores afirmam que não há como saber com certeza, era sempre associado com a mumificação e a vida após a morte na mitologia egípcia,também associado como protetor das pirâmides.

Mad Sweeney

Figura mitológica do folclore da Irlanda, o leprechaun é apresentado como um diminuto homenzinho, sempre ocupado a trabalhar num único pé de sapato no meio das folhas de um arbusto ou “sob uma folha de labaça”. Ele é tido como o sapateiro do povo das fadas. Também são conhecidos pelos nomes de Tumores, Duendes ou Gnomos.

Os leprechauns são considerados guardiões ou conhecedores da localização de vários tesouros escondidos. Para obter tais tesouros (normalmente um pote de ouro) é preciso capturar um leprechaun e não o perder nunca de vista. Caso contrário, ele desaparece no ar.

Acredita-se que eles também tenham uma moeda de prata mágica, que volta a sua bolsa, depois de ser gasta.


As Irmãs Zoryas

As Zoryas são as deusas eslavas do amanhecer e do anoitecer (também conhecidas como as Auroras), servas do deus sol Dazbog, seu pai. Segundo a mitologia, sua principal função é guardar e vigiar o cão do juízo final, Simargl que está acorrentado à estrela Polaris, na constelação de Ursa Menor. Todos os dias Simargl tenta devorar Polaris, e segundo o mito, se a corrente que o aprisiona se quebrar, ele irá devorar a Ursa Maior e todo o universo será destruído. Assim, as Zoryas são tidas como as deusas que guardam o universo.

The Jinn

Jinn, traduzido como gênio (português brasileiro) indica, na religião pré-islâmica e muçulmana, uma entidade sobrenatural do mundo intermediário entre o angélico e o humano, que pode ser associada ao bem ou ao mal, que rege o destino de alguém ou de um lugar; embora sejam também descritos de um modo inteiramente virtuoso e protetor.

O termo em grego para o mesmo conceito é daimon e pode ser empregado como um equivalente em português ao árabe “jinn”, uma vez que na mitologia árabe pré-islâmica e no Islã, um jinn (gênio ou gênia – também “djinn”, “djin” ou “djim”) é um membro dos jinni (os gênios e gênias, ou “djinni”), uma raça de criaturas sobrenaturais.


Mr. Wednesday

Odin ou Ódin (em nórdico antigo: Óðinn) é considerado o deus principal do clã dos deuses Asses (Æsir), o clã mais importante de deuses da mitologia nórdica e nas crenças das religiões neopagãs nórdicas, como a Ásatrú. Também é conhecido como “Pai de Todos” e “O enviado do Senhor da Guerra”.

Seu papel, como o de muitos deuses nórdicos, era complexo; era o deus da sabedoria, da guerra e da morte, embora também, em menor escala, da magia, da poesia, da profecia, da vitória e da caça. Era sobretudo adorado pelas classes sociais superiores.

O nome Wednesday vem de Wōdnesdæg, palavra do Inglês Arcaico (Old English) que significa o dia do deus Germânico Woden, mais conhecido como Odin, que era o deus mais alto da mitologia nórdica e um proeminente deus dos Anglo-Saxões e outros povos na Inglaterra até o século XVII.Wednesday é baseado no nome Dies Mercurii, do Latim, “Dia de Mercúrio” (Woden’s day, em Inglês).